Atualmente são realizados cerca de 7500 atendimentos por mês nos cinco Centro de Atenção Psicossocial do município

 

Ao longo deste mês de setembro, a Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Saúde, promoverá ações em alusão à campanha Setembro Amarelo, que busca conscientizar sobre a prevenção do suicídio. Diversas ações serão realizadas no município, com o objetivo de alertar a população sobre a realidade do suicídio no Brasil e no mundo, além das suas formas de prevenção. A programação segue até o dia 27 deste mês.

 

A campanha terá uma ação que acontecerá no dia 13, às 18h, quando o chafariz da Vila Santa Cecília acenderá luzes amarelas, cor da campanha. Durante a ação, profissionais da saúde mental distribuirão material informativo para a população. Também serão realizadas palestras em instituições públicas e rodas de conversas em diversos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).

 

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, destacou a importância das ações na promoção do amplo debate do tema junto à população. “A saúde mental é uma das nossas prioridades. Temos uma equipe qualificada para ajudar as pessoas e atuar na prevenção do suicídio, que muitas vezes ainda é tratado como tabu pela sociedade”, pontuou o secretário.

 

O prefeito Samuca Silva ressalta que o ‘Setembro Amarelo’ tem total apoio da administração pública. “Contamos com uma ampla rede voltada para a saúde mental. É importante essa conscientização da população e a conversa sobre prevenção ao suicídio”, disse o prefeito.

 

Como buscar ajuda — Volta Redonda dispõe de profissionais capacitados à orientação dentro do setor de Saúde Mental, que pertence a média complexidade do município. Atualmente o município possui cinco CAPS, sendo três deles destinados ao atendimento de adultos, um infantil e um para dependentes de álcool e outras drogas.

 

Cada um deles conta com uma equipe multidisciplinar composta por assistente social, psicólogo, técnico de enfermagem, enfermeiro, terapeuta ocupacional, educador físico, psiquiatra e médico clinico. Nos espaços, que funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, acontecem oficinas terapeutas, como música, artesanato, higiene, saúde e jogos.

 

De acordo com a coordenadora de Saúde Mental do município, Renata Vasquez, atualmente são atendidos cerca de 1500 pacientes ativos em cada uma dessas unidades, perfazendo um total de 7500 atendimentos por mês. “O Caps funciona com portas abertas, sem precisar ter encaminhamento e agendamento para ser atendido. Todas as pessoas com algum sofrimento psíquico como depressão, crise de ansiedade ou qualquer outro transtorno que chegam, são acolhidas imediatamente”, disse a coordenadora.

 

Para a psiquiatra Marilu Nascimento Freitas, que atende no Centro de Atenção Psicossocial Usina de Sonhos, destaca que entre os principais casos estão os psicóticos e pacientes em depressão graves, com risco de suicídio. “Eles são acolhidos, acompanhados e medicados imediatamente após nos procurar. As consultas são realizadas semanalmente e depois sendo espaçadas para quinzenalmente e mensalmente até eles melhorarem”, disse a médica.

 

Mariane de Oliveira, 21 anos, moradora do Vila Brasilia conta que foi salva pela acolhida que teve no CAPS. “Tive duas tentativas de suicídio em seguida e fui parar no hospital por causa de três paradas cardíacas. Então procurei ajuda aqui. Eu era responsável por manter a minha família e perdi meu emprego. Então entrei em depressão”, disse Mariane. Sete meses depois ela diz que sua vida está totalmente mudada. “Agora  minha realidade é bem diferente e consigo ver várias pessoas lutando para sobreviver. Eu sou uma delas. Minha semana é praticamente aqui dentro”, comemora a paciente.

 

Programação:

Dia 13 –  8h -  Palestra na escola Rotary, no bairro Água Limpa;

             14h - Palestra no IFRJ, Aterrado;

Dia 17 – 7h - Palestra no Saae, no bairro Bela Vista;

             10h - Palestra no Saae, no bairro Aterrado;

             15h - Palestra no Saae, no bairro Belmonte;

Dia 19 –  9h - Roda de conversa com familiares, no Cras do Santo Agostinho;

             14h - Roda de conversa com familiares, no Cras do Vila Brasília;

Dia 20 – 14h - Roda de conversa com familiares, no Cras do Monte Castelo;

Dia 22 –  8h - Rua de Lazer – práticas integrativas, na Radial Lesta;

Dia 23 –  14h - Roda de conversa com familiares, no Cras do Candelária;

Dia 25 –  9h30 - Roda de conversa com a população em situação de rua, no Aterrado;

              14h - Roda de conversa com a população em situação de rua, no Na Vila Santa Cecília;

Dia 26 – 9h - Evento dos trabalhadores de Saúde Mental, Caps do Belvedere;

Dia 27 – 9h - Roda de conversa com familiares, no Cras do Rústico;

 

Por Fátima Santos - Secom/VR