Gestantes, puérperas e crianças são mais suscetíveis à Influenza e formam público com baixa procura pela imunização

 

Carlos Roberto Souza, de 61 anos, morador do Santo Agostinho, compareceu à Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) do bairro na manhã desta quarta-feira, dia 29, para se vacinar contra a gripe. Ele conta que se vacina em todas as campanhas e diz ter melhorado bastante sua imunidade.

 

“Geralmente a gripe te joga na cama. Sempre me vacino e há muitos anos, quando acontece de eu ficar gripado, parece que a doença fica mais branda. Consigo cumprir minhas obrigações, mesmo gripado”, disse Carlos, lembrando que é importante se vacinar. “Essa doença transmite de uma pessoa para outra. Meu filho chegou gripado em casa e no outro dia eu também fiquei. Hoje eu vim e depois minha esposa também virá se vacinar”.

 

Assim como o Sr. Carlos, mais de 51 mil pessoas já se vacinaram contra a gripe em Volta Redonda, durante a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza. Os números são da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). De acordo com a coordenadora do setor de Epidemiologia da SMS, Milene Paula de Souza, esse número representa 74% do público-alvo.

 

“Reforço o chamado para a vacinação, principalmente para as gestantes, criança de seis meses até menores de seis anos, e puérperas, que são as mulheres que ganharam bebê em até 45 dias. Esses grupos estão mais suscetíveis à gripe e temos um histórico de baixa procura ao longo dos anos”, afirmou Milene.

 

O secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, informou que a meta é vacinar 90% do público-alvo, ou seja, cerca de 59 mil pessoas.

 

“Pedimos a quem ainda não se vacinou que compareça a uma unidade de saúde mais próxima de casa e se vacine. Nesta época de frio, costumam aumentar os casos e a prevenção é o melhor remédio”, afirmou o secretário.

 

Volta Redonda conta com 45 unidades básicas de Saúde e de Saúde da Família. O prefeito Samuca Silva ressaltou que a rede está abastecida com vacinas suficientes para atender o público-alvo.

 

“Queremos ampliar nossa cobertura de áreas atendidas pela vacinação cada vez mais. Estamos investindo muito em saúde e é importante que a população se proteja. As equipes de atenção básica estão prontas para atender todos que precisam se vacinar”, destacou o prefeito.

 

PÚBLICO-ALVO – A campanha é voltada para crianças de seis meses a cinco anos; gestantes em qualquer idade gestacional; puérperas (mulheres no período até 45 dias após o parto). Também estão incluídos trabalhadores da área de saúde; professores; toda população indígena, a partir dos seis meses de idade; e indivíduos com 60 anos ou mais.

 

Ainda devem se vacinar os portadores de algumas doenças crônicas não transmissíveis, munidos da indicação médica. Estão incluídos casos de doença respiratória crônica; doença pulmonar obstrutiva crônica; doenças intersticiais do pulmão; doença cardíaca crônica; doença renal crônica; doença hepática crônica; e doença neurológica crônica. Além do diabetes; imunossupressão; obesos grau III; transplantados; e portadores de trissomias – Sídrome de Down, Sídrome de Klinefelter, Síndrome de Wakany.

 

Por Raphael Martiniano, com fotos de Evandro Freitas / SecomVR