Programação conta com atividades educativas em vários pontos da cidade

 

Começou na manhã desta segunda-feira, dia 13, uma série de atividades programadas para a Semana da Luta Antimanicomial Volta Redonda 2019. O evento é realizado pela secretaria municipal de Saúde (SMS), com apoio do Capta (Centro Acadêmico de Psicologia Tatiana Ramminger) e do Observatório de Direitos Humanos do Sul Fluminense. De acordo com a coordenadora da área de Saúde Mental da SMS, Renata Vasquez, o objetivo é sensibilizar e conscientizar a sociedade para o cuidado em saúde mental.

 

“Buscamos trabalhar um conteúdo educativo e reflexivo com estudantes, usuários de nossas unidades, cidadãos, profissionais de várias áreas. Queremos reforçar junto à população a importância da Semana da Luta Antimanicomial e dar mais visibilidade as ações que já são realizadas no município”, explicou Renata.

 

A primeira ação teve início na Praça Rotary, na Vila Santa Cecília, de onde foi iniciado o jogo Loucururbanas, organizado pelo Grupo de Pesquisa de Desutilidades Urbanas, da Uff (Universidade Federal Fluminense). Equipes formadas por moradores, historiadores, alunos de diversos cursos da Uff, além de usuários e profissionais da rede pública de Saúde, percorreram a cidade, realizando tarefas.

 

“A ideia é começar a semana trazendo o sentido da antimanicomialidade. A sociedade contra e sem os manicômios, que ultrapassa a dimensão dos serviços. É preciso trabalhar no contexto dos territórios, da cultura, da sociabilidade, dos sentidos. O jogo permite criar estratégias coletivas de estar na cidade e repensar o sentido de loucura, de saúde, de cuidado, de limites da cidade, as lógicas manicomiais que estão no nosso cotidiano”, explicou a professora de Psicologia da Uff, Ana Cabral.

 

Pedro Rami Francisco Filho, que é do Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial no Tratamento de Usuários de Crack, Álcool e outras Drogas), elogiou a programação.

 

“O evento está sendo bacana e acho que, a partir daí, dá pra conseguir evitar que acabem com os caps, que não voltem com os manicômios. E a partir desse começo, desses encontros, vamos conseguir e isso anima pra gente não desistir”, comentou Pedro.

 

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, explicou que Volta Redonda conta com uma rede de atendimento, incluindo quatro residências terapêuticas que garantem assistência integral a pessoas com transtornos mentais egressos de instituições de internação de longa permanência.

 

“São lugares que possuem o foco de resgatar o convívio social, permitindo a construção de autonomia para quem faz uso desses espaços. Além disso, através dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPSs), conseguimos trabalhar a reabilitação psicossocial e a reaproximação com a família”, explicou Alfredo.

 

Além das Residências Terapêuticas, Volta Redonda conta com três CAPS Adultos (Vila Esperança, Usina de Sonhos e Sérgio Sibilio Fritsch, no Jardim Belvedere), um CAPS para crianças e adolescentes (Viva Vida, na Vila Mury), e um CAPS para usuários de álcool e outras drogas (CAPS AD).

 

O Programa de Saúde Mental ainda dispõe do Espaço de Cuidado, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30, no Estádio Raulino de Oliveira. O Espaço de Cuidado é um ambulatório de Saúde Mental adulto, que atende usuários em sofrimento – com depressão, tendência suicida, etc.

 

Para o prefeito Samuca Silva, envolver a sociedade nesse debate é fundamental para que o poder público possa direcionar melhor seus esforços no cuidado de quem recebe tratamento da área de Saúde Mental.

 

“Eventos como a Semana da Luta Antimanicomial servem para alertar e convidar a população a participar ativamente. Nossa estrutura é fundamental nesse cuidado e contamos com os cidadãos para melhorar cada vez mais os serviços para quem precisa”, ressaltou o prefeito.

 

Confira a programação da Semana da Luta Antimanicomial:

 

14/05 - Terça-feira

9h às 10h15 - 1º Momento:

Roda de Conversa - O Jogo Antimanicomial em Análise

Facilitadores: Alexandre Barbara, Caio Junior e Estagiários da Rede de Assistência Social

10h30 às 13h - 2º Momento:

Apresentação da Rede de Atenção à Saúde e Roda de Vivências

Facilitadores: Ricardo Pena, Daniele de Paula, João Fernando CAPSi, Edna Candido CAPS Vila Esperança e Estagiários e Usuários da Rede Saúde

Local: UFF Aterrado - Auditório do 3º Andar Bloco B

14h às 18h:

Aula Aberta: Luta Antimanicomial, Direitos Humanos e a Contra-Reforma Psiquiátrica

Facilitadores: Rafael Dias, Flávia Freire e Grupo de Pesquisa Genealogia da Lei 10.216

Convidados: Racquel Gouveia (UFRJ),Mônica Lugão (CAPS i), Milton Freire (Militante - RJ), Maicon Ávila  e membros da  AUFASSAM

Local: UFF Aterrado - Auditório do 3º Andar Bloco B

 

15/05 - Quarta-feira

12 h - Sarau Cultural dos Usuários

Local: Caps Belvedere

 

16/05 - Quinta-feira

9h às 11h - Oficina de Escutação de Histórias sobre o Trabalho

Facilitadora: Elisa Borges e Estagiários

11h às 12h - Prática de Yoga - Exercícios de Respiração e Relaxamento

Facilitadora: Roseli de Oliveira

12h - Almoço Coletivo

Local: CAPS Belvedere

 

17/05 – Sexta-feira

8h30 - Shows de Talentos da Rede de Atenção Psicossocial do Médio Paraíba

Local: Clube Municipal Barra Manda

 

18/05 - Sábado

9h - Café da manhã com roda de conversa com familiares

Local: CAPS Vila Esperança

 

Por Raphael Martiniano, com fotos de Evandro Freitas / SecomVR