Comandante da Polícia Militar visitou o local e garantiu segurança noturna para equipes médicas, funcionários e pacientes

 

Os funcionários, equipes de profissionais de Saúde e pacientes do Hospital São João Batista, terão segurança noturna da Polícia Militar a partir desta sexta-feira, dia 12. A comandante do 28º Batalhão da PM, tenente-coronel Luciana Rodrigues de Oliveira, esteve visitando as dependências do Hospital, na tarde desta quarta-feira, dia 10, para analisar o pedido feito pela direção administrativa do Hospital.

 

A solicitação foi encaminhada em razão do aumento da insegurança com ameaças de agressões ocorridas nos últimos dias. Um paciente armado colocou em risco a equipe médica e o marido de outra paciente em situação de parto, ameaçou as enfermeiras e quis quebrar portas.  

 

O diretor administrativo do HSJB, Cássio Murilo Macedo Pires, recepcionou a comandante da Polícia Militar e justificou a medida. “Nós fizemos a solicitação à Polícia Militar em ofício, para termos um policiamento noturno por causa das ameaças de violência que cresceu nesses 20 dias. Durante o dia, já temos dois policiais militares permanentes, faltava a noite quando o movimento também é intenso.  Os incidentes vão de ameaças de agressão a danos ao patrimônio público. O hospital atende a todo mundo, a pessoas baleadas e acidentadas na Dutra. Todos são trazidos para cá como hospital referência  de média e alta complexidade”, disse.

 

O prefeito Samuca Silva, também é solidário a uma melhor segurança para os médicos, enfermeiras e demais funcionários do Hospital. “Quero agradecer a colaboração da comandante da PM, a tenente coronel Luciana Rodrigues, que rapidamente nos atendeu e compareceu pessoalmente ao Hospital São João Batista para trazer a paz, a segurança de volta aos profissionais do HSJB e também às pessoas, familiares que buscam o hospital para um atendimento de qualidade e repudiam esses atos de violência”, ressalvou Samuca.   

 

O diretor administrativo acrescentou que o objetivo é resguardar a equipe de profissionais da unidade,  funcionários do hospital e até os próprios pacientes.  “Precisamos de um policial armado, que tenha autoridade para enquadrar quem deseja praticar atos de violência, porque isto é crime. Temos o apoio da Guarda Municipal, mas desarmada. Desrespeitar o funcionário público é punível por seis meses a dois anos de cadeia pelo Ministério Público”, afirmou.  

 

A comandante do 28º Batalhão, tenente coronel Luciana de Oliveira, aprovou o envio de um PM para o policiamento noturno já a partir de sexta-feira, dia 12, mediante o envio de um novo ofício ao Batalhão até amanhã, quinta-feira, que após a aprovação do comando geral da PM, passará a prestar serviços no local, das 19h às 7h, diariamente. Ela inspecionou o quarto de descanso (alojamento) que o policial terá, junto a Coordenação de Manutenção, conforme havia solicitado, e deu parecer favorável à reivindicação da direção hospitalar.

 

O ideal seria que toda unidade de saúde tivesse um policial, mas não podemos atender a todas. Eu vim para resolver esta situação. O importante é que hospital que é super importante para a cidade seja atendido na questão da segurança para os seus funcionários e usuários. Recebendo um novo documento, acredito que sexta-feira já poderemos iniciar o policiamento a noite”, enfatizou.

 

Ao final do encontro com a direção e assessores da direção administrativa e médica do HSJB, a tenente coronel Luciana identificou os melhores locais onde o policial fará ronda para ter maior visibilidade pública, principalmente nos setores do Pronto Socorro, onde chegam as emergências

 

Por Afonso Gonçalves, fotos de Geraldo Gonçalves - SecomVR