O objetivo do PET-Saúde é promover integração entre ensino, serviço e comunidade

 

 

Estudantes e profissionais que vão atuar no Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) 2019/2021 reuniram-se na tarde desta quarta-feira, dia 03, no Auditório do UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda), campus Três Poços, para abertura oficial dos trabalhos. O projeto apresentado por Volta Redonda, que tem o UniFOA e a Prefeitura de Pinheiral como parceiros, foi um dos 120 selecionados pelo Governo Federal entre os 400 inscritos. 

 

 

No evento, a gerente da Divisão de Área Técnica e Educação em Saúde, Marciléa Dias de Sá Paiva Lima, que coordena o PET-Saúde em Volta Redonda, explicou o funcionamento do programa que reúne os 30 alunos escolhidos entre os cursos de medicina, odontologia, educação física, nutrição e enfermagem, do 1º, 2º e 3º anos, e os 30 profissionais – funcionários da Secretaria de Saúde e professores do UniFOA.

 

 

“A partir desta semana, os estudantes e profissionais começam a atuar nas Unidades Básicas de Saúde dos bairros Três Poços, Volta Grande, Vila Brasília, em Volta Redonda, e São Jorge, em Pinheiral. Os cinco grupos vão conhecer, até março de 2021, a realidade do SUS (Sistema Único de Saúde) e as políticas públicas para saúde sempre trabalhando a integração ensino-serviço-comunidade”, falou Marciléa.

 

 

A estudante do 5º período do curso de Nutrição, Larissa Gonçalves Viana, está animada com o início da experiência. “É uma oportunidade de conhecer a realidade do serviço de saúde e pensar soluções para avançar sempre no atendimento”, acredita.

 

 

Adam Takashi da Silva Osugui, do 5º período de Medicina, compartilha da opinião e ansiedade da colega do curso de Nutrição. “Estou empolgado com a nova etapa de aprendizado que começa esta semana. Espero aprender muito e também apresentar ideias que melhore o atendimento à população”, disse.

 

 

As médicas e professoras da Faculdade de Medicina do UniFOA, Ângela Gidorene e Márcia Cardoso, participam pela segunda vez do PET-Saúde. Esta é a segunda vez que o projeto apresentado por Volta Redonda é selecionado pelo Governo Federal, ambas às vezes com parceria do UniFOA.

 

 

“Esse programa é fundamental para a formação do profissional da área de saúde. Os estudantes, já nos primeiros anos do curso, têm a visão da importância do trabalho em equipe, da interprofissionalidade. No PET-Saúde eles atuam em equipes multidisciplinares que trabalham de forma integrada”, explicou Ângela.

 

 

Márcia acrescentou: “conhecer e valorizar a profissão do outro melhora o cuidado com o paciente e o serviço de saúde da população, além de garantir uma bagagem profissional diferenciada para esses alunos”, acredita.

 

 

De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, com o PET-Saúde todos ganham. “Os estudantes começam a conhecer a profissão que escolheram na prática, o serviço público ganha o olhar e a colaboração de jovens ávidos para contribuir com novas ideias e projetos, que certamente vão se transformar em serviço mais eficiente para a população”, falou.   

 

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, afirma que apóia qualquer iniciativa que promova capacitação profissional, valorização do funcionário público e melhora no serviço prestado à população. “E o PET-Saúde engloba tudo isso. Leva os estudantes da área de saúde para dentro da realidade do SUS, mostra para eles a importância do profissional que executa o atendimento à população e convida para participar desse processo com ações que contribuam para ampliar a qualidade do atendimento na Rede Pública de Saúde”, falou Samuca.  

 

 

Por Renata Borges com fotos de Evandro Freitas – Secom/VR