Cinco ônibus foram recolhidos e proibidos de circular

 

A Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU), realizou neste sábado, dia 27, mais uma ação de fiscalização no transporte coletivo da cidade. A operação aconteceu no ponto final da Ponte Alta, no terminal rodoviário embaixo do Elevado Castelo Branco. Cinco ônibus, com condições ruins de circulação, foram recolhidos e proibidos de circular.

 

Os fiscais da Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU) verificam a sanitização dos ônibus; o uso da máscara, obrigatório para passageiros e operadores do transporte público; e fazem uma análise razoável da lotação dos carros para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Além disso, a equipe também observa o estado de conservação dos veículos, incluindo acentos, pneus e vidros, ação rotineira mesmo antes da pandemia da Covid-19.

 

O secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, Rogério Loureiro, destacou que o objetivo da operação é garantir um transporte de qualidade para a população. “Essa ação de fiscalização acontece rotineiramente na cidade visando garantir o cumprimento dos decretos, as medidas de segurança e o conforto do passageiro”, destacou o secretário.

 

Rogério Loureiro lembrou que o governo municipal, desde 2017, está empenhado em melhorar a qualidade do transporte na cidade. “Esse é um legado que deve permanecer e ser defendido, o da busca por um transporte melhor para quem precisa. Estamos empenhados, cobrando e fiscalizando para ter uma melhora no sistema de transporte”, disse Rogério.

 

A Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU) vai criar, no terminal rodoviário da Ponte Alta, um quiosque de fiscalização permanente da pasta.

 

O prefeito Samuca Silva salientou que o atual governo já realizou a troca de empresas que atendem alguns bairros buscando a melhora no transporte, como no Santa Cruz, Siderlândia, Santa Rita do Zarur e Açude. “E estamos buscando realizar a licitação das linhas da maior empresa da cidade, cujo edital ainda está no Tribunal de Contas. Essa licitação, nunca feita antes na cidade, será um grande legado para Volta Redonda”, completou Samuca.

 

Por SecomVR – com fotos de divulgação