Força-tarefa tem atuado com cada vez mais rigidez para garantir o cumprimento das medidas de combate ao novo coronavírus

 

A força tarefa de fiscalização tem atuado com rigidez em Volta Redonda para garantir o cumprimento dos decretos de enfrentamento ao novo coronavírus. Desde o início das medidas de restrição, em março, mais de duas mil denúncias foram feitas pela população e mais de 60 estabelecimentos foram autuados. As denúncias têm se concentrado em bares, restaurantes e em eventos não autorizados em praças e ruas. A principal denúncia refere-se a aglomerações.

 

No dia a dia, a força-tarefa segue com o trabalho de rondas nas principais ruas comerciais do município, shoppings e supermercados. São verificados horários de abertura e fechamento; marcação de distanciamento na fila dos caixas, açougues, padaria, e na entrada do lado externo; uso de máscara por funcionários e clientes; controle de quantidade de clientes permitida dentro do estabelecimento; presença de álcool gel ou outro meio dos clientes higienizarem as mãos; entre outras medidas.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, afirmou que, se a população não se conscientizar sobre a seriedade da situação, a flexibilização do comércio não vai funcionar. “Nós flexibilizamos o comércio, mas isso não significa que a cidade venceu a pandemia e que a população deva ir às ruas. A situação ainda é muito séria e a orientação é que, aqueles que puderem, fiquem em casa”, alertou o prefeito.

 

Os principais bairros fiscalizados nos últimos três dias foram: Água Limpa, Aterrado, Conforto, Dom Bosco, Jardim Vila Rica, Monte Castelo, Retiro, Santo Agostinho, São Geraldo, São João, São Luiz, Três Poços, Vila Mury, Vila Santa Cecília e Voldac. E é importante que a população continue fazendo parte, denunciando irregularidades pelo telefone 156.

 

Secom VR – com fotos de Gabriel Borges