66,8% das reclamações no aplicativo já foram atendidas

 

O aplicativo Fiscaliza VR, criado pela Prefeitura de Volta Redonda, chega ao sétimo mês de funcionamento de efetiva utilização por parte dos cidadãos-usuários da cidade. Neste período foram registradas 20.578 solicitações de serviços públicos e, também vários avanços e boas práticas detectadas. Dessas solicitações, 66,87% já foram atendidas e as outras estão em andamento ou aguardando para serem solucionadas.

 

O secretário municipal de Planejamento, Transparência e Modernização da Gestão, Enock Azevedo, disse que a Seplag é responsável pela implantação e melhoria do sistema do aplicativo Fiscaliza VR, implantado na atual gestão.

 

“O sistema desde sua implantação já passou por diversas melhorias e hoje está disponível tanto na plataforma android como IOS. Desde o seu lançamento já foram realizadas mais de 20 mil solicitações, dentre elas, aproximadamente 14 mil já foram solucionadas pela prefeitura. É importante que o cidadão faça a inclusão da sua solicitação dentro do sistema web ou pelo aplicativo. Porque a partir dele você consegue receber informações toda vez que sua solicitação teve andamento. Assim, a prefeitura fica mais próxima de você, tornando a nossa cidade melhor”, disse Enock.

 

As solicitações mais registradas são sobre iluminação pública, buracos nas vias, recolhimento de entulho e podas de árvores. Os bairros com maiores solicitações são Retiro, Vila Santa Cecília e Santo Agostinho.

 

O número de ocorrências vem diminuindo e o número de elogios vem aumentando. Somente em agosto foram registrados 48 elogios.

 

Para o prefeito Samuca Silva, isso é o resultado de uma importante marca na história da cidade, visto que antes não existia um canal direto para que as questões do município fossem solucionadas.

 

“Estamos modernizando todo o processo com mais e melhores recursos, como análise georeferenciada, gráficos interativos e muito mais, permitindo um melhor atendimento por parte do poder público. A tecnologia vem para somar forças e para desenvolvermos um trabalho eficiente diariamente. Tudo isso de forma transparente”, finalizou Samuca.

 

Por Renan Ferreira com fotos de Arquivo - Secom/VR