Eixo de monitoramento é condicionante para a reabertura

 

As atividades econômicas de Volta Redonda - como comércio varejista e shoppings - deverão ser fechadas novamente na cidade a partir de quinta-feira, dia 21. O anúncio foi feito pelo prefeito Samuca Silva em transmissão ao vivo pelas redes sociais na tarde desta quarta, dia 20. O motivo: o eixo de monitoramento de aumento de casos suspeitos foi extrapolado pelo segundo dia seguido, aumentando em mais de 5%.

Esse era um dos eixos condicionantes para a flexibilização, com retorno gradual, das atividades econômicas. Na terça-feira, dia 19, o aumento foi de 6%. Hoje, quarta-feira, o aumento foi de 7,6%.

 

“Nós teremos que fechar as atividades a partir de amanhã, quinta-feira, dia 21. Conseguimos a abertura das atividades através, primeiro de acordo com o Ministério Público e depois com o Poder Judiciário, baseado em metas de monitoramento de avanço de casos suspeitos e a capacidade de leitos, controle da pandemia. Infelizmente, pelo segundo dia seguido, extrapolamos essa meta de casos suspeitos. Por isso, precisaremos manter fechados a maioria das atividades para achatar novamente a curva de casos”, disse, o prefeito Samuca.

 

Os seis eixos de monitoramento condicionantes para a reabertura do comércio: o número de casos suspeitos não poderá aumentar em 5% por dois dias seguidos (hoje o aumento foi de 7,6%); A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50% (estando com 15% de ocupação hoje). A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60% (permanecem em 6%).

 

Com isso, ficarão novamente fechados por sete dias as seguintes atividades: serviços de escritório, apoio administrativo e outros serviços prestados; atividades profissionais, cientificas e técnicas; atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados; informação e comunicação; comércio e reparação de veículos automotores; alojamento; bares e restaurantes (exceto serviço de delivery); comércio varejista; outras atividades e serviços; seleção e agenciamento e locação de mão de obra;  atividades imobiliárias; além de agências de viagem, operadores turísticos e serviços de reserva; e shoppings.

 

Poderão continuar funcionando as seguintes atividades, com restrição de atendimento e de número de clientes, espaçamento, entre outras medidas: supermercados; horti-fruti; farmácia; óticas; material de construção; clínicas médicas; laboratórios; agropecuária (venda de ração e comida de animais); e padarias.

 

Recebemos o levantamento do setor epidemiológico da Secretaria de Saúde, que demonstra esse aumento dos casos suspeitos. Lembro que a maioria das cidades teve que fechar todas as atividades. Só conseguimos reabrir por conta das medidas técnicas. Infelizmente, vimos cenas de aglomeração, pessoas sem máscaras, e os casos suspeitos cresceram mais do que a meta estabelecida”, comentou Samuca.

 

O descumprimento das novas regras, das normas sanitárias ou de funcionamento, vai acarretar aplicação de penalidades previstas em lei. Entre elas, multa, interdição do estabelecimento, cassação de alvará, fechamento do estabelecimento, embargo, apreensão de bens, entre outras sanções.

 

“Estamos informando com transparência desde o início da pandemia. Lembro que temos uma decisão judicial em vigor. A medida não depende do prefeito e, sim, do acordo judicial que fizemos. Estipulamos critérios técnicos e, infelizmente, uma das metas foi extrapolada e precisaremos manter fechado por sete dias essas atividades”, ressaltou o prefeito.

 

Os dados sobre a Covid-19 também foram atualizados. O município agora tem 734 casos confirmados de coronavírus. Os casos suspeitos chegaram a 1.969, sendo que 530 exames deram negativos e 619 pessoas já estão curadas. Os óbitos na cidade são 24, sendo que há mais dez óbitos suspeitos na cidade.

 

Por SecomVR