Em mais uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, atualizou os dados de combate a Covid-19, o Novo Coronavírus, na cidade. O município agora tem 697 casos confirmados de coronavírus. Os casos suspeitos chegaram a 1.725, sendo que 517 exames deram negativos e 563 pessoas já estão curadas. Os óbitos na cidade são 22.

 

Entre os eixos de monitoramente do avanço do vírus, que são condicionantes para atividades econômicas fiquem abertas, a cidade está dentro dos limites.

 

Os seis eixos de monitoramento são: o número de casos suspeitos não poderá aumentar em 5% por dois dias seguidos (hoje o aumento foi de 1,95%); A ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50% (estando com 31% de ocupação hoje). A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60% (permanecem em 5,26); O grupo de risco permanecer em isolamento social; Uso de máscara obrigatório nas ruas; Além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

 

- Infelizmente no final de semana nós tivemos muitos pontos de aglomeração. E isso não pode acontecer. A flexibilização das atividades só é possível se as pessoas forem as ruas apenas em caso de necessidade. Enquanto várias cidades falam em fechamento total, nós falamos em flexibilização. Mas isso só é possível se todos fizerem suas partes. E, claro, monitorando o avanço do vírus e a capacidade de atendimento - disse Samuca.

 

O prefeito destacou que durante as ações de fiscalizações na sexta-feira, sábado e domingo, dias 15, 16 e 17, dez estabelecimentos foram interditados por descumprimento do decreto municipal, sendo outros cinco autuados por violar as medidas. Outros 72 locais foram orientados pelos fiscais. Até o momento apenas um estabelecimento comercial teve seu alvará cassado, no bairro Jardim Amália II, por descumprir o decreto municipal.

 

O Secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, reforçou que as medidas de isolamento social são as melhores ferramentas. “Quarentena não é férias. Estamos vendo em algumas praças de lazer aglomerações, crianças brincando e socializando, muita gente perto uma da outra. Isso não pode acontecer. O isolamento social é fundamental para achatar a curva de contaminação'', disse o secretário.

 

Samuca ainda aproveitou para esclarecer duvidas de quando igrejas, academias e colégios poderão retornar as atividades. Segundo o prefeito, ainda não está no momento de apresentar ao Ministério Público uma proposta de reabertura. ''Estamos dialogando com todos os setores. Ainda não é o momento dessas aberturas. Tanto que o MP já entrou com agravo pedindo novamente o fechamento das atividades econômicas. Precisamos de um cronograma concreto e com segurança'', disse o prefeito.

 

Por SecomVR – com fotos de Felipe Carvalho