Com ela, sobe para oito o número de empresas com possibilidade em compor a cadeia do aço

 

Em reunião com o prefeito Samuca Silva, na tarde desta quarta-feira, dia 23, representantes da JAL Industrial, que atua no ramo de soluções em aço para construção civil na cidade de Itaquaquecetuba (SP), demonstraram interesse em se instalar no polo metalmecânico, em Volta Redonda. Com isso, sobe para oito o número de empresas que poderão compor a cadeia do aço.

 

“A expectativa é que 4 mil empregos diretos sejam criados no município quando o Polo Metalmecânico estiver formado”, afirmou Samuca. Ele lembrou ainda que um importante passo para viabilizar a implantação do Polo Metalmecânico foi dado na última semana, com a assinatura do decreto de incentivos fiscais pelo governador Wilson Witzel. “O processo da aprovação dos incentivos para cadeia do aço começou em Volta Redonda em 2017, em uma reunião entre a prefeitura e a Companhia Siderúrgica Nacional”, ressaltou o prefeito.

 

O diretor Comercial da JAL, Alexander R. Oliveira, explicou que a implantação da empresa em Volta Redonda se dará em duas etapas. “O início dos trabalhos, programado para daqui uns quatro meses, poderá ser feito em um espaço menor e vai garantir cerca de 30 empregos diretos no município. Na segunda etapa, já num galpão maior para abrigar novos equipamentos, a empresa deve gerar mais cem empregos”, disse.

 

O executivo acrescentou que o número de vagas para o mercado de trabalho pode ser ainda maior caso a empresa amplie o raio de atuação. “Volta Redonda está no eixo Rio-São Paulo-Minas, além de ter acesso facilitado à Bahia. Podemos avaliar novas oportunidades de negócios”, falou Alexander.

 

O secretário de Projetos Especiais e Captação de Recursos, Joselito Magalhães, que também esteve no encontro, está acompanhando os representantes da JAL na busca no melhor local para abrigar a primeira etapa de implantação dos serviços da empresa no município.

 

“Os diretores já estiveram no Polo Metalmecânico, no bairro Roma, e demonstraram interesse em um dos terrenos para sediar definitivamente as operações da empresa”, contou Joselito.

 

Por Renata Borges com fotos de Gabriel Borges – Secom/VR