Encontro reuniu coreógrafos e responsáveis por grupos de dança da cidade e da região

 

Na última quarta-feira, dia 06, a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Volta Redonda (SMEL) realizou o Congresso Técnico do Festival Dança VR. O encontro aconteceu na Fundação CSN, na Vila Santa Cecília, e contou com a participação de coreógrafos e responsáveis por grupos de dança da cidade e da região.

 

O objetivo foi abordar temas relevantes à participação dos bailarinos e o regulamento do festival. As inscrições já estão disponíveis e serão realizadas primeiramente através do email: dançEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. com o envio da ficha de inscrição e a música em formato mp3 até o período de 21 de novembro. O segundo passo será a entrega da autorização de uso de imagens, o Par-Q, até às 17h do dia 21 de novembro, na sede da SMEL, que funciona na Arena Esportiva, no bairro Voldac.

 

“Esse já é um evento que entrou para o calendário da cidade, movimentando bailarinos de Volta Redonda e região. No ano passado, cerca de cinco mil pessoas assistiram ao Dança VR e esperamos que este ano seja ainda melhor”, explicou o prefeito Samuca Silva. 

 

Em 2018, ao todo, 103 grupos de dança participaram do festival, sendo realizadas 171 apresentações, com 1602 bailarinos e um público de mais de cinco mil pessoas no Teatro Maestro Franklin de Carvalho Júnior, no Colégio Getúlio Vargas. Neste ano, o Dança VR será realizado nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro.

 

A secretária de Esporte e Lazer de Volta Redonda, Maria Paula Tavares, destacou que neste ano também serão realizados workshops para os profissionais de dança. “Ano passado realizamos quatro workshops para os participantes, dando mais oportunidades de conhecimento e aperfeiçoamento profissional, possibilitando inclusive a troca de experiências entre os participantes. Queria agradecer também a parceria com a Fundação CSN que, junto com a SMEL, somará com relevância no que tange ao incentivo da cultura e arte que envolve o festival”, disse.

 

Ela explicou também que o formato e tempo das apresentações foram abordados no Congresso Técnico, ou seja, todo o regulamento que rege o festival. “A abordagem de pontos chaves do regulamento proporciona melhor compreensão e adequação para o fluxo da programação do Festival que envolve a amplitude de categorias, atendendo desde as crianças até os adultos, permitindo também a diversidade e pluralidade que a dança possibilita”, declarou a secretária.

 

Por Maria Clara Sales com foto divulgação – Secom VR