Cerca de 50 profissionais participaram do curso na Arena Esportiva de Volta Redonda

 

A Secretaria de Esporte e Lazer, da prefeitura de Volta Redonda, promoveu um curso de capacitação de inclusão para cerca de 50 professores da pasta. A aula foi ministrada pelas consultoras Sheila Santos e Simone Santos, neste sábado, dia 24, no auditório da Arena Esportiva, no bairro Voldac. O tema da palestra foi “Esportes Adaptados para todos, derrubando barreiras e promovendo a inclusão”.  Professores da Smel, Fevre, Secretaria de Educação e estagiários em Educação Física participaram da qualificação.

 

A secretária municipal de Esporte e Lazer, Maria Paula Tavares, avaliou a importância da capacitação.

É uma temática muito importante para os avanços que nossa gestão vem buscando. No caso da Smel, a capacitação dos profissionais é fundamental para a melhoria da oferta de esporte, lazer e atividade física para as pessoas com deficiência. Ainda este ano teremos a capacitação junto ao Comitê Paralímpico, destacando a iniciativa da atual gestão de inclusão das modalidades paralímpicas de atletismo e natação no Jevre (Jogos Estudantis de Volta Redonda), desde 2018 e a criação dos Jogos Municipais das Pessoas com Deficiência – JOMPED – que este ano terá sua segunda edição”, enfatizou Paulinha.

 

A palestrante Sheila Santos falou dos desafios e a importância desse tipo de capacitação. “A Educação Física é uma ferramenta educacional de interação e cooperação, deve ser trabalhado a fim de atender a todos os alunos, desenvolvendo atividades físicas, recreativas e psicomotoras que estimulem as habilidades e as potencialidades de cada indivíduo. Boa vontade, dedicação e amor são essenciais. Mas a capacitação na área do esporte, onde pode ocorrer lesões e onde se lida com barreiras arquitetônicas e barreiras atitudinais, é fundamental”, destacou.

 

Ela acrescentou que o profissional de Educação Física é repleto de desafios na postura frente sua classe, e que por trás dessa questão é necessária a intervenção de um profissional capacitado, consciente e responsável, principalmente tratando-se de crianças com algumas necessidades especiais.

 “O esporte adaptado para todos, onde participam alunos ditos normais e alunos com deficiência, é uma forma maravilhosa de inclusão, porém, necessitará  de uma dedicação maior do professor, um olhar diferenciado do grupo e um estudo de caso da ‘deficiência’ apresentada pelo aluno”, ressaltou.

 

A diretora de Lazer e Fomento ao Exercício Físico, Evelini Reis, disse que a temática escolhida, no entendimento dos professores, vem contribuir para fortalecer um trabalho que já existe na Smel nos projetos e programas esportivos.

 

Por Afonso Gonçalves, fotos de Gabriel Borges, SecomVR