Serviço de Atendimento ao Migrante, na Rodoviária, fez a abordagem e conseguiu o contato

 

O Serviço de Atendimento ao Migrante, da Secretaria de Ação Comunitária (Smac) da Prefeitura de Volta Redonda, colaborou para que a história de um senhor de 70 anos, que estava na cidade, tivesse final feliz. Na última segunda-feira, dia 03, os profissionais, que atuam na Rodoviária Municipal Francisco Torres, perceberam que o homem estava perdido e fizeram o primeiro atendimento que o levou de volta ao Rio de Janeiro.

 

“Fomos informados de que havia um idoso na rodoviária que parecia estar confuso e que não sabia voltar para casa. A equipe de abordagem encaminhou para o Centro Pop, onde houve a continuidade do atendimento. Conseguimos descobrir o endereço da irmã dele no Rio e, a partir daí, iniciou-se os contatos para levá-lo de volta à cidade onde vive”, explicou a coordenadora do Centro Pop, Roziléia Delizandra Apololinário.

 

Na quarta-feira, dia 05, a filha do idoso veio buscá-lo. A coordenadora contou ainda que, segundo informações da família, não é a primeira vez que ele sai de casa assim. 

 

“Com essa ação realizada, temos certeza que estamos no caminho certo, voltando o olhar para as pessoas que necessitam de cuidado. O Centro POP tem essa importância. Promove a articulação entre os serviços e as políticas públicas para a garantia do acesso ao direito de todos. Olhamos para quem está em uma situação de exclusão para incluir”, comentou o secretário de Ação Comunitária, Ailton da Silva.

 

O prefeito Samuca Silva lembrou que Volta Redonda oferece diariamente uma rede de proteção para pessoas em situação de vulnerabilidade social e em situação de rua. “O governo municipal oferece diversos serviços que vão do acolhimento até a reinserção das pessoas que estavam em situação de rua ao mercado de trabalho formal”, contou.

 

Atualmente, a Smac trabalha com a rede de proteção através de dois departamentos: o Departamento de Proteção Básica, que age na prevenção junto às famílias para fortalecimento do vínculo familiar; e o Departamento de Proteção Social Especial (DPES), quando já ocorreu a violação de direitos e a pessoa precisa de proteção social urgente.

 

Secom VR, com fotos de divulgação