Cerimônia foi realizada na manhã desse sábado, dia 26

 

Depois de ser totalmente reconstruído, o Centro de Referência à Assistência Social (Cras) do Siderlândia foi entregue a população pelo prefeito Samuca Silva, na manhã deste sábado, dia 26.  A unidade, que vai atender 2.500 famílias, fica localizada na Rua 10, nº 20, e estava fechada desde 2017 por problemas estruturais, gerados por anos de abandono. A nova unidade atenderá, também, os moradores dos bairros Belmonte e Jardim Belmonte.

O prefeito Samuca Silva, num discurso entusiasmado, disse que a sua gestão é voltada para atender aos anseios da população. “Quero dizer que sempre estarei do lado do povo. Eu governo para quem mais precisa porque foi de onde eu vim, da periferia, da escola pública. Não vou governar pra os donos de combustíveis, das empresas de ônibus. Nunca duvide da minha vontade de governar ao lado de vocês”, disse o prefeito.

 

Samuca Silva aproveitou para agradecer ao atual secretário municipal de Ação Comunitária, Marcus Convençal, que deixará o cargo para assessorar o prefeito. “Quero agradecer ao Marcus Convençal por tudo que ele fez na Secretaria Municipal de Ação Social. Ele sai para me assessorar e para que possamos deixar um legado de ter, pela primeira vez, um assistente social a frente da secretaria. Não precisamos de populismo na Smac e quando pensei em fazer essa mudança técnica foi para que a secretaria, verdadeiramente, faça políticas públicas de assistência social”, explicou o prefeito.

 

Durante o seu discurso, Samuca solicitou aos presentes que defendam a cidade de Volta Redonda. “Há apenas dois anos e meio, éramos a cidade do desemprego, que não atraia nenhuma empresa. Perdemos a Nissan e Peugeot e muitas outras. Há cerca de um ano, abrimos um shopping, atraímos mais de 15 mil empregos e nos tornamos a cidade que mais gerou postos de trabalho no estado do Rio de Janeiro. Reabrimos o Restaurante Popular, inauguramos o Hospital do Idoso para atender quem mais precisa, num momento da vida que não se tem dinheiro para pagar um plano de saúde com preço elevado. Também inauguramos a Rodovia do Contorno, colocamos ônibus gratuitos interligando os Centros Comercias, estamos construindo uma creche em tempo integral, além de disponibilizar vagas integrais nas creches das escolas municipais para dar aos pais uma estrutura para que eles possam trabalhar, abrimos a licitação para o transporte público que irá operar na cidade, ampliamos o serviço de diálise e, agora, podemos atender mais de 150 pessoas na nossa cidade, no conforto do seu lar. Precisamos defender a nossa cidade porque a amamos”, explicou o prefeito.

 

As instalações contam com quatro banheiros, sendo dois adaptados para pessoas com deficiência; três salas multiuso; um Telecentro; cinco salas de atendimento, sendo uma para reuniões; e um auditório. No local, os moradores terão o acesso facilitado aos benefícios sócio-assistenciais através da avaliação e cadastro realizados por uma equipe de profissionais do Cras. Além de trabalhar a prevenção das vulnerabilidades, o espaço também conta com o serviço de convivência e fortalecimento de vínculos.  Os serviços são garantidos por equipe formada por um coordenador técnico, psicólogo, assistente social, orientador social e auxiliar administrativo.

 

Quem estava animado e ansioso para utilizar o novo espaço é o aposentado Danilo Cândido, 70 anos, morador do bairro Jardim Belmonte. “A entrega desse espaço para nós é maravilhoso. Sou coordenador de um grupo de convivência da Terceira Idade e esse espaço será essencial para nossas atividades. Agora todas as quintas-feiras vamos nos reunir aqui. Estamos muito felizes”, disse o aposentado.

 

O secretário municipal de Ação Comunitária, Marcus Convençal, lembrou do tempo em que foi criado no bairro Siderlândia. “Vi muita coisa acontecendo nesse bairro. Antes de 1996, vi chegar o asfalto e melhorias. De lá para cá tudo foi se deteriorando. Depois que o prefeito Samuca assumiu a administração municipal o bairro voltou a crescer. Essa estrutura de Cras que temos aqui é referência para o Brasil e estava abandonada. Hoje, com muito orgulho, estamos entregando esse espaço para a população. A política de assistência cresceu muito em Volta Redonda. Paramos de pensar no assistencialismo e começamos a construir a política de assistência para aquele que precisa e não como uma esmola. Isso está sendo fundamental para que as pessoas percebam que todos têm que ter os seus direitos garantidos”, disse o secretário.

 

Por Fátima Santos com fotos de Gabriel Borges – Secom/VR