Praça Sávio Gama sedia Feira de Artesanato

Mais de 50 artesãos comercializaram produtos variados durante todo o dia em frente à sede da Prefeitura de Volta Redonda

 

Peças em pachwork, pinturas, madeira, material reciclado para uso pessoal e decoração, além de gastronomia, podem ser encontrados das 9h às 16h, na primeira semana do mês, na Feira de Artesanato da Praça Sávio Gama. O evento, realizado nesta sexta-feira, dia 05, é mensal e reúne mais de 50 artesãos. A mesma feira é realizada no Zoológico Municipal, na Praça Brasil e na Praça Rotary.

 

A secretária de Cultura de Volta Redonda, Aline Ribeiro, afirma que as feiras contribuem para a divulgação do trabalho desses artistas. “São muitos artesãos em Volta Redonda. Eles são cadastrados e podem participar das feiras realizadas em pontos estratégicos da cidade. Eles vão se revezando, garantindo espaço para todos”, disse a secretária.

 

Para o prefeito Samuca Silva, eventos como este valorizam os artesãos da cidade. “Abrindo espaços públicos nos principais pontos comerciais da cidade para os artesãos divulgarem e comercializarem seu trabalho, geramos mais oportunidades para a categoria”, afirmou.

 

A dupla de confeiteiras Ana Maria Magalhães Dias e Júlia dos Santos Menezes participam da Feira da Praça Sávio Gama pela primeira vez. Ela contam que se cadastraram após a II Feira de Economia Solidária, no fim de agosto, início de setembro, na Praça Rotary. “Vimos uma oportunidade de fazer vendas diretas dos nossos produtos e também divulgar a marca e conquistar encomendas”, disse Júlia, que ressalta a qualidade dos bem-casados e dos pães caseiros integrais que fabrica.

 

Também enaltecem o valor comercial da feira de artesanato Ana Fonseca, que faz peças em tecido e crochê; e o casal José e Ivalda Andriane, que trabalham com entalhe em madeira. “A feira sempre gera vendas. Além disso, cada pessoa nova que conhece nossa arte acaba fazendo propaganda boca a boca e atraindo mais público”, disse Ivalda.

 

O depoimento de Elizete Olegário Figueira, moradora do Belmonte, confirma a opinião dos artesãos. “Temos que conhecer e valorizar o trabalho dos artesãos da cidade. Eles têm produtos únicos e com preço justo”, disse. Cleonice Toledo Finotte, que mora no Retiro, também passou pela feira na Praça Sávio Gama. “É a primeira vez que venho. Vi coisas lindas. Foi bom conhecer o trabalho deles”, falou.

 

Por Renata Borges com fotos de Gabriel Borges – Secom/VR