Com tema sobre o meio ambiente, 600 componentes desfilaram neste sábado, na Vila Santa Cecília

 

Animação, beleza, alegria, harmonia e samba no pé. Essas cinco palavras resumem como foi o desfile do Bloco da Vida neste sábado, dia 7, na Vila Santa Cecília, em Volta Redonda. O bloco desfilou pela segunda vez esse ano, encerrando as programações oficiais do carnaval de 2020. Cerca de 600 componentes ocuparam a Praça Brasil e a Rua 14, animando o público presente e desfilando com o samba-enredo “Do Alto a Terra é Azul”, cujo tema central é o meio ambiente.

 

A concentração dos integrantes começou às 17 horas, na Praça Brasil, com a banda Bateria Show animando os presentes. O grupo cantou marchinhas de carnaval e sambas-enredos históricos.

 

Na concentração a animação já era total. A família da dona Sonia Maria, de 70 anos, era só alegria. A idosa desfila no bloco desde seu início, mas esse ano foi diferente. É que ela sofreu um acidente doméstico e perdeu capacidade de locomoção e tem a fala limitada. Por isso, dona Sonia teve que desfilar de cadeira de rodas.

 

“Minha mãe sempre amou o Bloco da Vida, isso representa tudo para ela. Esse ano ela não iria desfilar por estar na cadeira de rodas, mas quando falamos do desfile pra ela, mesmo com dificuldade, ela disse que queria participar. Estamos muito felizes e ela muito empolgada”, disse a filha de dona Sonia, Cristiane Gomes. Dona Sonia faz parte do grupo de convivência de idosos 'Experiência e Esperança’, do Cras Volta Grande, há 20 anos.

 

O prefeito Samuca Silva exaltou o desfile do Bloco da Vida e agradeceu o público que foi prestigiar a apresentação. “Fizemos dois desfiles esse ano e tudo foi muito lindo. Nossos idosos se apresentaram com muita animação. O desfile, o enredo e as fantasias foram pensados com muito amor em cada detalhe. Nossos idosos merecem. Fiquei muito orgulhoso”, disse Samuca.

 

Neste ano, o Bloco da Vida desfilou com mais de 600 foliões e 46 ritmistas com idade entre 50 e 90 anos, sendo que 90% pertencem à terceira idade. O enredo foi distribuído em nove alas, quatro alegorias e 60 destaques. Os temas abordados nas fantasias são: poluição do solo e das águas, agrotóxicos, queimadas, chuva ácida, lixo espacial, reflorestamento, educação ambiental e água potável.

 

Por SecomVR – com fotos de Felipe Carvalho