Programação de segunda à sexta-feira conta com música, dança, bate-papos e outras ações para todos os públicos

 

Espaço dedicado à cultura afro, o Memorial Zumbi, na Vila Santa Cecília, está com vários projetos de ocupação e oferece atividades gratuitas para a população de Volta Redonda. Música, dança, bate-papo, capoeira, debates e outras ações acontecem de segunda à sexta-feira no local. Para o prefeito Samuca Silva, o memorial promove ao mesmo tempo entretenimento, lazer, além de valorizar a cultura afro-brasileira e os artistas da região.

 

“O Memorial Zumbi é um dos pontos turísticos de Volta Redonda e resgata e reforça a importância da cultura afro, proporcionando para a população de nossa cidade e os visitantes uma ótima opção cultural. Através dos editais de ocupação, conseguimos movimentar o espaço e dar oportunidade para os artistas da região realizarem seus trabalhos”, ressaltou o prefeito.

 

Break Dance

 

A dança é a atividade mais presente no espaço e tem para vários gostos. O projeto Coletivo P2KP, criado em 2015 para difundir a cultura das competições de dança no Sul do estado, promove Ensaio de Break Dance todas as quartas-feiras, das 19h às 21h.

 

Charme e Soul Music

 

Às sextas-feiras, das 17h às 19h, o projeto Black Charme Soul Music ocupa o memorial com o objetivo de mostrar a cultura black através da música e da dança. No local, o grupo realiza aulas de dança charme com soul music.

 

Jongo

 

A dança brasileira de umbigada com fortes referências africanas também tem seu espaço quinzenalmente às segundas-feiras, das 19h às 21h, por meio do projeto Coletivo Jongo Di Volta. O jongo é praticado em roda por homens e mulheres acompanhados de percussão e canto.

 

Dança afro-brasileira e contemporânea

 

Com um público-alvo de mulheres jovens e adultas, o projeto Coletivo N’Zinga de dança está presente todas as sextas-feiras, das 18h às 21h, promovendo ensaios abertos e oferecendo aulas práticas de ritmo e coordenação. O coletivo também realiza apresentações de dança afro-brasileira e contemporânea, com foco na projeção e valorização da mulher negra.

 

Dança, debates e pesquisa

 

A dança afro também está presente em oficinas realizadas às terças-feiras, das 19h às 21h, com o Grupo de Dança Afro IYA Mi Dunda. O grupo também promove debates e pesquisas sobre os fundamentos culturais da dança, trabalhando o Samba de Roda, Olodum, Afoxé entre outras atividades.

 

Curso de percussão e ritmos de terreiros

 

Para quem gosta de fazer música, o Memorial Zumbi oferece quinzenalmente às quartas-feiras, das 18h às 21h, curso de percussão e ritmos de terreiros, com o projeto Som dos Atabaques, para todos os públicos.

 

Capoeira

 

A Capoeira Angola ou Capoeira Mãe são apresentadas todas as terças e quintas, das 9h às 11h, pela Escola de Capoeira Angola Caroço de Dendê, que também promove o diálogo com as culturas da diáspora, vivenciando através da sua prática a história afro-ameríndia.

 

Reflexões, autoestima, expressão corporal

 

O projeto Coletivo Flor de Maio Humanizar está presente no Memorial Zumbi quinzenalmente às quintas-feiras, das 18h às 21h, com o objetivo de resgatar ancestralidade, elevar autoestima através de reflexões, expressão corporal, entre outras formas, trabalhando a humanização de modo geral.

 

Por Raphael Martiniano, com fotos de Evandro Freitas. / Secom VR
3339-9061