Secretaria Municipal de Educação oferece oficina de calça sensorial para funcionários da rede

A calça sensorial auxilia na estimulação e no conhecimento dos próprios limites da criança com deficiência, além de ser um material de baixo custo.

A prefeitura de Volta Redonda, através da secretaria municipal de educação, promoveu nesta segunda-feira, dia 05, a primeira oficina de “Calça de estimulação multisensorial e de posicionamento da criança”, para professores, cuidadores e todos os profissionais da rede de educação. O objetivo é de  ampliar o atendimento dos alunos com diversas deficiências e melhorar o trabalho dos profissionais de educação.   

A versatilidade da forma da calça possibilita um uso dinâmico favorecendo posturas funcionais para as vivências sensório-motoras. Pode ser usado para a criança dormir, brincar, sentar, ficar de bruços, entre outras posições, além de ser uma tecnologia de baixo custo.

Os materiais utilizados na confecção dessas calças são: uma calça jeans, flocos de espuma, retalhos de tecido coloridos e de diferentes texturas e sacolas de supermercado. A calça pode ser usada como encosto para a criança brincar sentada no chão, de acordo com a necessidade e preferências de cada uma.

Para a secretária municipal de educação, Rita Andrade, esse trabalho de confecção de material, precisa ser contínuo. “Nós temos hoje na contagem oficial, aproximadamente 730 alunos de inclusão no município e as escolas precisam ter material para trabalhar com esses alunos. Além disso, existem determinados materiais que são específicos para estimulação ou para trabalhar determinadas funções cognitivas. Quando fazemos essas oficinas, nos atingimos um grande número de profissionais para dar sequência à formação continuada do profissional que está atuando com as crianças deficientes”, destacou Rita.

Para ela, os profissionais que foram na oficina, estão atuando como professores, auxiliares de educação e até mesmo os coordenadores pedagógico, que vão fazer o papel de multiplicadores nas suas unidades.

A Professora Adriana Oliveira, da Creche Municipal José Ferreira, no bairro Voldac, disse que essa oficina é importante para aprimorar o conhecimento dos professores.  “Esse ano eu estou com um aluno com microcefalia e essa oficina é necessária para que a gente consiga lidar melhor com essas crianças dentro da sala de aula e trabalhar os seus desenvolvimentos. A calça sensorial, por exemplo, é um estimulo primordial, principalmente quando a criança não mostra nenhuma resposta com outros estímulos”, frisou.

Quem ministrou a oficina foi a professora responsável pela frente de deficiência múltiplas, físicas e visual, Eulália Peixoto, e explicou que essas calças servem para vários estímulos, entre eles: sonoros, táteis e visuais, visando o objetivo de aconchegar a criança no ambiente escolar.

“A equipe da SME está dando para os profissionais da rede uma condição de melhor trabalho com os alunos de inclusão. E para esses alunos que estão matriculados na rede buscamos oferecer um atendimento mais qualificado quando promovemos essas ações”, finalizou o prefeito Samuca Silva.

Por Renan Ferreira com fotos de Geraldo Gonçalves