Cerca de 150 estudantes são atendidos pelo projeto

 

A Secretaria de Educação de Volta Redonda oferece atendimento de terapia com cavalos aos alunos encaminhados pela Seção de Educação Especial. Cerca de 150 estudantes são atendidos no contraturno do horário escolar. A Equoterapia é um método terapêutico e educacional, que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem multidisciplinar e interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação.  

 

O prefeito Samuca Silva lembrou que é dever do poder público buscar parcerias como essas, que melhoram a qualidade de vida das pessoas com deficiência e seus familiares. “Com a Equoterapia, observa-se melhora na comunicação e interação social dos alunos”, disse o prefeito.

 

De acordo com a chefe da Seção de Educação Especial, Taís Machado, as aulas trazem ganhos físicos, psicológicos e educacionais. “Esta atividade exige a participação do corpo inteiro e isso contribui para o desenvolvimento da força, tônus muscular, flexibilidade, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio”, enumerou.

 

Taís explicou ainda que o projeto é direcionado para os alunos que possuem indicação clínica, feita pelo profissional da área de saúde que já acompanhe a criança. “A família apresenta na escola, onde o aluno está matriculado, a solicitação do neurologista, terapeuta ocupacional ou fisioterapeuta que já acompanha a criança e a unidade encaminha à Seção de Educação Especial, que repassa ao responsável pelo Recanto da Equoterapia. E, a partir daí, a equipe técnica do recanto avalia se a criança é elegível para esse tipo de terapia”, informou.

 

O fisioterapeuta e coordenador do Recanto de Equoterapia, Francys de Carvalho, frisou que, quando o alunos chegam até o local, passam por uma avaliação física e psicológica para ver qual área precisa ser trabalhada.

 

De acordo com a secretária municipal de Educação, Rita Andrade, os resultados obtidos são inúmeros. “Os alunos tendem a melhorar a postura e aprendizagem no projeto. É uma terapia alternativa que visa desenvolver capacidades funcionais que permitam ao aluno sua independência nas atividades diárias de vida”, disse a secretária.

 

Maria Teodoro, mãe dos gêmeos autistas Gabriel e Rafael, de 14 anos, contou que os filhos amam participar das aulas. “Eles têm muita resistência a frequentar a escola, mas as aulas da Equoterapia eles adoram”, disse. Já a mãe do Vitor Hugo, de 10 anos, Maria Aparecida Coelho, ressaltou que o desenvolvimento dele foi surpreendente. “Ele era muito bruto, eu tinha medo de ter animais em casa. Agora ele interage muito melhor com todos”.

 

O projeto funciona no Recanto da Equoterapia, que fica na Rua Epitácio Pessoa, nº 66, no bairro Dom Bosco, no horário das 07h às 18h, de segunda a sexta-feira.

 

Por Ana Maria Mansur, com fotos de Geraldo Gonçalves